(R)Evolução social

(R)Evolução social
Paulo Malheiro Tomás, Business Coach na Through The Nous e CEO da Auto Diesel, Lda.

Segundo um estudo do World Economic Forum, a inteligência artificial e a evolução das máquinas, durante os próximos quatro anos, vão acabar, em todo o mundo, com 75 milhões de postos de trabalho e criar 133 milhões de novos postos.

Por outras palavras, em termos mundiais, a Indústria 4.0 criará 58 milhões de novos postos de trabalho, que, por definição, serão funções diferentes das extintas. Na área das oficinas e suas congéneres, foi, recentemente, divulgado um estudo efetuado pelo UBS e publicado pelo Ministério da Indústria, Comércio e Turismo, na sua revista “Industrial Economics”, sobre Espanha, onde é afirmado que a chegada do veículo elétrico a esse país poderá significar a destruição de 40 mil empregos, diretos e indiretos, no setor automóvel, nos próximos seis anos. A ausência de fábricas de baterias elétricas e semicondutoras, além da alta exposição a fabricantes de componentes, setor que num veículo elétrico terá menor peso e que agrega o potencial impacto económico do setor elétrico, poderá reduzir em 60% o volume de negócio das oficinas, como resultado de menos componentes e do menor desgaste do veículo elétrico.

Em Portugal, o McKinsey Global Institute e a Nova School of Bussiness and Economics efetuaram um estudo sobre a mesma temática e chegaram à conclusão que o nosso país perderá, até 2030, cerca de 500 mil postos de trabalho. Este estudo tem já em linha de conta as entradas e saídas das novas funções. Segundo dados do INE (Inquérito ao Emprego, tendo como fonte a PORDATA e estando a última atualização datada de 6 de fevereiro deste ano), Portugal tem 5.232.600 trabalhadores no ativo, prevendo-se a sua diminuição devido ao envelhecimento da população. Se contabilizarmos a diminuição da população ativa por envelhecimento e a diminuição do número de postos de trabalho devido à Indústria 4.0, passaremos para, aproximadamente, quatro milhões de trabalhadores ativos e 6,5 milhões de inativos, o que colocará em risco toda a estrutura de um estado social.

No setor da manutenção e reparação de veículos, existem 7.300 empresas registadas com este CAE (45200) que empregam 30.500 colaboradores, que, na sua grande maioria, são micro empresas, sem capacidade de investimento nas novas tecnologias. Semelhante situação vai originar a que o mercado se torne polarizado, entre as muito grandes, com acesso à tecnologia, e as muito pequenas, sem acesso à mesma e sem capacidade para acompanhar a evolução do automóvel. Não será, pois, de estranhar, que os fabricantes ou os representantes destes em Portugal, tenham uma postura de mercado, mais fechada do que há uns anos. Se até aqui, apesar de muitas falhas, o regulamento europeu Block Exemption ainda funcionava, num futuro próximo deixará de ter qualquer utilidade. Sem a ajuda dos fabricantes, poucos serão os que conseguirão efetuar reparações nos novos veículos.

Os investimentos necessários para reparar veículos elétricos e tecnologicamente evoluídos só estão ao alcance de poucos

Os investimentos necessários para reparar veículos elétricos e tecnologicamente evoluídos só estão ao alcance de poucos, quer em termos da formação e conhecimento necessários, quer em termos de aparelhos de diagnóstico e de intervenção nas viaturas. Estamos perante um novo paradigma. Dentro de cinco anos, teremos milhares de indivíduos com capacidade para trabalhar mas “inaptos” para as exigências do mercado. Por outro lado, existirá falta de mão de obra especializada neste setor em profunda mudança. Não se trata apenas de estar atento à evolução do setor da reparação automóvel. Estou profundamente preocupado com a falta de medidas, que já deveriam ter sido tomadas em prol da nossa sociedade.
A mudança já não acompanha os ventos. É mais rápida. O próprio pensamento corre sérios riscos de ficar para trás. Importa, por isso, repensar o modelo empresarial e dar a devida importância às pessoas, que, na realidade, são a essência de qualquer empresa!

Notícias da mesma categoria

(R)Evolução social

Do mesmo Autor: Bruno Castanheira

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com