Mudar o óleo da caixa de velocidades automática: conheça as dicas da MEYLE

Mudar o óleo da caixa de velocidades automática: conheça as dicas da MEYLE

O fabricante de Hamburgo dispõe de mais de 60 kits de mudança de óleo de caixas de velocidade automáticas no seu portefólio, sendo que todos eles contêm componentes para efetuar esta operação. 

“Caixa de velocidades automática? Essa não precisa de mudar o óleo!” Este mito tem vindo a enraizar-se progressivamente, embora já tenha sido provado o contrário. O óleo da caixa de velocidades está sujeito a um processo de envelhecimento natural.

Por isso, é importante mudá-lo: ajuda a prevenir danos na caixa de velocidades, assegura o bom funcionamento da transmissão e preserva o conforto de condução. Continua a haver muitas dúvidas a este respeito. Mas há forma de desfazê-las.

A MEYLE, fabricante de peças de substituição, sediado em Hamburgo, na Alemanha, dispõe de mais de 60 kits de mudança de óleo no seu portefólio, sendo que todos eles contêm componentes para a mudança de óleo: filtros, vedantes, parafusos, parafuso de drenagem e/ou de enchimento, ímanes e quantidade de óleo da caixa de velocidades necessária para cada aplicação.

• Antes de mudar o óleo da caixa de velocidades, leia e observe, obrigatoriamente, as indicações do fabricante referentes ao procedimento e às especificações do óleo para caixas de velocidades. Um óleo da caixa de velocidades não permitido poderá alterar o comportamento da caixa e provocar danos irreparáveis.

• Antes de mudar o óleo da caixa de velocidades, é necessário ler a memória de erros e tomar nota deles. Faça a leitura da memória de erros através da interface de diagnóstico e, de preferência, imprima os erros memorizados. Assim, identificam-se eventuais danos anteriores e evitam-se trabalhos de assistência desnecessários.

• Levante o veículo o mais na horizontal possível, usando uma plataforma elevatória. Só assim será assegurada uma medição precisa do nível do óleo.

• Verifique a estanquidade das ligações de encaixe externas da mecatrónica. Se necessário, substitua a carcaça das fichas juntamente com o vedante, aperte-a com o binário de aperto prescrito ou verifique se a fixação das fichas está bem encaixada.
O MEYLE-KIT inclui vedantes e carcaças de fichas compatíveis.

• Os parafusos do cárter do óleo devem ser sempre substituídos. É frequente utilizarem-se parafusos de colo reduzido de utilização única. O MEYLE-KIT inclui parafusos para o cárter do óleo.

• Drenar o conversor de binário. Se possível, drene sempre o óleo restante do conversor de binário. Para o efeito, rode o conversor de binário para a posição certa. Em determinadas transmissões, é necessário remover a bomba de óleo suplementar para conseguir alcançar o bujão de drenagem do conversor de binário.

• Encher o conversor de binário. Deixe o motor trabalhar em ralenti acelerado, com cerca de 1.500 a 2.000 rpm, com a alavanca seletora na posição “N” e por 20 segundos, para encher o conversor de binário. O mesmo se aplica a transmissões sem bujão de drenagem no conversor de binário.

• A temperatura certa para o óleo da transmissão. O nível correto do óleo só se consegue medir depois de alcançada a temperatura prescrita do óleo da caixa de velocidades. Também neste caso, é imprescindível seguir as indicações do fabricante.

• Repor os valores de adaptação. Para alguns veículos, o fabricante prevê uma adaptação da caixa de velocidades após cada mudança de óleo. Esta é efetuada num banco de ensaio ou durante a circulação, com comando por menu através do aparelho de diagnóstico.

Notícias da mesma categoria

Mudar o óleo da caixa de velocidades automática: conheça as dicas da MEYLE

Do mesmo Autor: Bruno Castanheira

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com