“Oferecemos um portefólio imbatível de peças originais e de aftermarket”, Miguel Melo

“Oferecemos um portefólio imbatível de peças originais e de <em>aftermarket</em>”, Miguel Melo

As empresas do Grupo MCoutinho oferecem um portefólio imbatível de peças originais e de peças aftermarket, suportado por uma elevada disponibilidade de stock em todas as marcas OEM e IAM, logística de excelência, call center com 30 profissionais altamente qualificados, soluções tecnológicas e acompanhamento do cliente com resolução rápida de problemas.

Que análise faz da situação atual do mercado de distribuição de peças automóvel em Portugal? 

O mercado em Portugal mostra-se, cada vez mais, competitivo. Mas isso é estimulante para o dia a dia das empresas MCoutinho Peças e AZ Auto. É neste contexto de constante desafio que o nível de serviço aos clientes tem sido melhorado e, consequentemente, o volume de negócio tem aumentado. A constante preocupação em sermos competitivoss faz com que a atenção aos detalhes da operação seja cada vez maior. 

Que solução existe para resolver o “esmagamento” das margens de comercialização das peças?

Existem dois pontos vitais para lidar com este “esmagamento”. Através de um aumento da eficiência e produtividade, o problema é minorado, porque é possível aportar valor a um serviço que, regra geral, é disponibilizado aos clientes numa base muito semelhante entre todos os fornecedores. A forma mais imediata de atingir este aumento de eficiência e produtividade é através do investimento em soluções tecnológicas. As empresas MCoutinho Peças e AZ Auto têm desenvolvido, internamente, um conjunto de ferramentas tecnológicas que lhes permitem manter lugares de vanguarda no setor.

As devoluções de peças são, neste momento, um dos maiores problemas dos distribuidores. O que têm feito para minorar este problema nas vossas empresas?

Sabendo que a capacidade de resolver problemas é um aspeto que os clientes valorizam, as empresas MCoutinho Peças e AZ Auto têm vindo a fazer investimentos em ferramentas informáticas que permitem uma gestão total da cadeia de devoluções. Desde o pedido do cliente até à emissão do crédito, passando pela recolha e chegada a armazém, o cliente tem visibilidade total sobre o processo. No portal, o cliente pode criar pedidos de devolução, anexando ficheiros, imprimindo rótulos de recolha e notas de crédito. No último ano, o processo passou pelo desenvolvimento de uma pipeline de resposta automática, isto é, cinco minutos depois do pedido de devolução dar entrada, o sistema responde automaticamente. Fá-lo consoante as regras de negócio e já é responsável por mais de 40% das respostas aos pedidos de devolução.

Considera que os novos conceitos de mobilidade podem afetar a forma como o negócio da distribuição de peças irá funcionar no futuro?

Seguramente que sim. E as empresas MCoutinho Peças e AZ Auto, juntamente com a rede de oficinas Rino, têm vindo a preparar-se para a mudança que vai acontecer no mercado.

A atual cadeia (fabricante, grossista, retalhista e oficina) continua a fazer sentido no negócio da distribuição de peças?

Atualmente, continua a fazer sentido. Tem-se assistido a uma profissionalização do retalho e das oficinas, nomeadamente com a integração em redes. No entanto, o aparecimento destas redes tem mostrado que existe uma preocupação do mercado em se adaptar e abre as portas a uma futura alteração da cadeia de distribuição.

A tendência internacional no setor das peças é a concentração da atividade. Concorda que assim seja?

O mercado nacional é extremamente fragmentado. A concentração da atividade a nível europeu é uma realidade e uma tendência ibérica. A MCoutinho Peças, através da AZ Auto, iniciou, em 2019, uma parceria estratégica com o grupo de compras ibérico CGA, o que tem sido extremamente produtivo.

Como se têm preparado as empresas MCoutinho Peças e AZ Auto para as mudanças que estão a acontecer no aftermarket?

A MCoutinho Peças é líder de mercado em peças originais. Atualmente, conta com 32 marcas de peças dos fabricantes automóveis. Porque acreditamos no aftermarket, desde 2009 que estamos neste mercado com a AZ Auto. As MCoutinho Peças e AZ Auto são as únicas empresas no mercado nacional, tanto quanto sabemos, que disponibilizam, a nível europeu, peças originais e de aftermarket de forma integrada. É com esta sinergia entre as peças OEM e IAM que as organizações MCoutinho Peças e AZ Auto enfrentam as mudanças que estão a surgir.

Como estão a conseguir fidelizar os clientes, numa altura em que a concorrência é cada vez maior?

A fidelização dos clientes é obtida através da oferta constante e sustentada dos fatores que são por eles mais valorizados. A procura constante por inovações no negócio e por formas de facilitar os processos de pesquisa, compra e devolução de peças, fazem com que a relação entre as empresas MCoutinho Peças e AZ Auto e os clientes seja, de certa forma, simbiótica. Isso faz com que os clientes saibam que as suas necessidades são satisfeitas, da forma mais célere e descomplicada.

E a nível interno, como incentiva a sua equipa a melhorar?

As MCoutinho Peças e AZ Auto tem intrinsecamente uma cultura de orgulho em fazer bem feito, algo reconhecido pelos próprios clientes. Esta é a motivação para melhorarmos todos os dias.

As peças para veículos elétricos e híbridos já têm alguma representatividade nas vossas vendas?

Será um mercado interessante, mas com algum caminho ainda a percorrer. As oficinas do Grupo MCoutinho estão numa fase de acumular know-how, que serve já de suporte à rede de oficinas Rino, assim como ao serviço prestado pelas MCoutinho Peças e AZ Auto aos clientes. De qualquer forma, o impacto dificilmente será a curto prazo, uma vez que temos um parque automóvel nacional com 12,6 anos de idade. Ainda que, por hipótese, a partir de 2020 metade da venda de viaturas fosse elétrica ou híbrida, mantendo o mesmo volume de venda de viaturas novas, em 2025 o parque de elétricos e híbridos seria de cerca de 15%. E se as vendas se mantivessem nos 50% de elétricos ou híbridos, em 2029 (daqui a nove anos), este tipo de motorização representaria 25% do parque total.

Que mais-valias trouxe para a empresa a associação ao grupo ibérico de peças CGA?

Esta associação trouxe um conjunto de vantagens que permitem às MCoutinho Peças e AZ Auto serem ainda mais competitivas no mercado. O acesso a gamas, desenvolvimento de conhecimento técnico e o facto de potenciar venda de peças originais, fazem com que esta parceria seja um dinamizador do negócio.

E relativamente às oficinas Rino, qual tem sido o seu desempenho? Estão a conseguir atingir os objetivos propostos?

A rede Rino passou por uma profunda alteração estrutural em 2016. Consultámos o mercado, analisámos as novas exigências e adaptámos o nosso projeto. Temos uma rede mais capaz, mais produtiva e qualitativamente mais forte. Conseguimos dotar a Rino de uma central de compras com condições muito vantajosas, bem como com planos de formação intensivos. Investimos em marketing, mantendo a rede atualizada face aos desenvolvimentos tecnológicos do setor. Temos, igualmente, acordos centrais que potenciam decisivamente a faturação dos nossos franchisados.

Quais foram as principais ações e eventos realizados pelas MCoutinho Peças e AZ Auto em 2019?

Um evento que é sempre marcante é a presença na expoMECÂNICA, na Exponor. É um evento que representa um importante investimento por parte das empresas MCoutinho Peças e AZ Auto, o qual se tem convertido, ano após ano, num importante convívio com os nossos clientes. No final de 2019, tivemos um grande evento de comemoração dos 20 anos da MCoutinho Peças. Fizemos um grande convívio, onde estiveram presentes representantes de organizações, que fizeram da MCoutinho Peças uma referência no setor ao longo destes anos. Uma forma de agradecer a preferência nestas duas décadas de sucesso.

A logística de entrega de peças continua a ser o grande desafio para as empresas de distribuição?

A logística no seu todo é uma peça fundamental na prossecução da satisfação máxima dos clientes. Um dos eixos de elevado impacto na qualidade do serviço é, sem dúvida, a entrega de peças. As MCoutinho Peças e AZ Auto sempre investiram na melhoria contínua do serviço prestado e, hoje, toda a operação é minuciosamente orquestrada por uma equipa de gestão de tráfego que garante a otimização de rotas, adequação da frequência e horários de entrega juntos dos clientes e, também, gestão de eventuais incidências. Paralelamente, existem projetos a decorrer que vão desde a automatização de roteamento à digitalização de todo o processo de comprovativos de entrega.

As MCoutinho Peças e AZ Auto estão no pódio dos maiores distribuidores de peças auto em Portugal. O que pretendem fazer para se manterem neste lugar?

A faturação ou a posição no ranking dos maiores distribuidores não é, de todo, uma prioridade. As empresas MCoutinho Peças e AZ Auto têm como missão a satisfação dos clientes e é esse o seu enfoque. Mas pretendemos estar, sim, no primeiro lugar do ranking de satisfação dos clientes.

Que desafios se colocam ao futuro das MCoutinho Peças e AZ Auto? Deverá o negócio ser olhado de uma outra perspetiva?

O negócio é, constantemente, analisado de várias perspetivas. Essa é a forma de antecipar desafios e mudanças profundas que possam estar no horizonte. Os desafios das MCoutinho Peças e AZ Auto são aqueles que a generalidade do mercado irá enfrentar. O aumento de automóveis elétricos e híbridos nas estradas obriga a conhecimentos totalmente novos. A automação dos veículos é outra grande mudança, para a qual todos devem estar preparados. No entanto, todos estes desafios estão identificados e a preparação para os superar já começou.

Como foi o ano de 2019 para as MCoutinho Peças e AZ Auto?

O ano de 2019 foi muito positivo, reflexo de todos os investimentos realizados, cujos resultados irão, seguramente, verificar-se nos próximos anos. À semelhança do que tem acontecido, as MCoutinho Peças e AZ Auto registaram um crescimento a dois dígitos. Isto não significa apenas um crescimento da faturação, mas, também, uma melhoria do nível de serviço, um crescimento da confiança dos clientes e um aumento da envolvência dos parceiros. 2019 foi mais um marco na história das MCoutinho Peças e AZ Auto, mas foi, também, o início de algo maior, porque, em 2020, o caminho recomeça em direção a novos objetivos.

E quais são as tendências futuras no setor grossista (e também retalhista) ao nível das peças em Portugal?

As tendências futuras para estes setores passam por uma maior profissionalização de todos os envolvidos e uma aposta maior na qualidade do serviço prestado como forma de diferenciação, num mercado cada vez mais competitivo. Algo que se adivinha cada vez mais comum, são as adesões a redes, tanto com conceitos oficinais, como de distribuidores de peças. Estas tendências trarão o aparecimento de grupos mais fortes, mais preparados e o eventual desaparecimento dos intervenientes que menos se adaptarem. Assim, o mercado ganhará força e a competição será maior, mas o benefício para todos os elos da cadeia crescerá de forma exponencial.

Notícias da mesma categoria

João Vieira

Do mesmo Autor: João Vieira

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com