Quer proteger o filtro de partículas Diesel? Siga os conselhos da LIQUI MOLY

Quer proteger o filtro de partículas Diesel? Siga os conselhos da LIQUI MOLY

O tempo de inatividade dos veículos e os percursos curtos de cidade favorecem a ocorrência de problemas e mau funcionamento do filtro mais caro do automóvel. A LIQUI MOLY revela-lhe como podem ser evitados problemas e despesas avultadas.

Os hábitos de condução e de utilização do automóvel mudaram. As viagens são, agora, mais espaçadas e curtas em grande parte dos casos, características que favorecem o aparecimento de problemas de funcionamento no filtro de partículas Diesel. Nestas condições, o componente não atinge as condições ideais para fazer a regeneração automática e manter a sua função antipoluição e bom funcionamento.

Com as limitações à circulação dos veículos, o motor nunca atinge a temperatura necessária para que o filtro proceda a uma regeneração automática, o que produz mais fuligem do que quando o motor está quente, além de ser injetado mais gasóleo para aumentar a temperatura que acaba por não ser queimado, diluindo-se, depois, no óleo de motor, retirando-lhe características e podendo mesmo causar danos.

Tal é visível, por exemplo, quando se constata, através da vareta, que o nível do óleo está acima do ponto máximo. A LIQUI MOLY disponibiliza duas soluções que resolvem este problema: por um lado, a prevenção com um aditivo que se junta ao combustível; por outro, a manutenção quando o filtro de partículas já está entupido. Trata-se de uma solução rápida e eficaz.

O Diesel Partikelfilter Schutz (Ref.ª 2146) é um aditivo que garante uma combustão ótima, evita a formação de fuligem e protege o filtro de partículas Diesel. O aditivo ajuda na regeneração eficaz dos sistemas DPF. De que forma? Vai, quimicamente, reduzir para cerca de metade a temperatura necessária para se fazer a regeneração automática.

Assim, permite que, mesmo em trajeto citadino, seja possível fazer a regeneração do filtro, mantendo o seu bom funcionamento e alargando a sua vida útil.

Ao mesmo tempo, são evitados problemas mais graves, entre eles a necessidade de substituir o filtro de partículas, operação que pode ir dos €1.000 €4.000, dependendo da marca do veículo. A aplicação deste aditivo, que se adiciona, diretamente, ao depósito de gasóleo, deve ser feita a cada 2.000 km.

Quando já está entupido, o filtro de partículas Diesel deve ser tratado com a Solução de Limpeza DPF LIQUI MOLY (Ref.ª 5169) + 5171, sempre em oficina e por um profissional.

Através do uso de uma pistola específica e da respetiva sonda pulverizadora, aplica-se o produto de limpeza primeiro para dissolver as partículas, introduzindo-se, posteriormente, o líquido de lavagem que vai soltar e dissolver as partículas, permitindo uma regeneração normal através de um percurso em estrada de 20 a 30 minutos.

O processo é simples, rápido e não obriga a desmontagem de qualquer componente do automóvel, permitindo que o veículo possa ser devolvido ao cliente no mesmo dia. Além disso, através da máquina de diagnóstico, é possível confirmar o nível de obstrução antes e depois da operação.

Desta forma, é possível limpar em vez de substituir o filtro de partículas Diesel, sendo este um serviço rentável para a oficina e económico para o cliente, podendo, também, esta solução ser usada, preventivamente, durante uma manutenção programada.

Depois desta limpeza, deve iniciar-se a utilização do aditivo já referido, que se adiciona a cada 2.000 km ao gasóleo, para que tenha uma ação preventiva e o filtro não chegue ao ponto de saturação anterior.

Mais uma dica importante: é fundamental o uso do óleo correto, específico para veículos com filtros de partículas. Para saber qual o óleo correto, consultar o Guia de Óleos online da LIQUI MOLY.

Notícias da mesma categoria

Avatar

Do mesmo Autor: Bruno Castanheira

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com