Aftermarket Pós-confinamento

Aftermarket Pós-confinamento

Segundo o estudo realizado pela consultora Roland Berger, e apesar do negócio IAM vir a enfrentar problemas tanto do lado da oferta, como do lado da procura, o impacto da crise para o pós-venda independente será menor do que para o resto da indústria automóvel.

Os resultados do estudo denominado “Covid-19: A oportunidade do aftermarket Independente (IAM)” trazem sinais de esperança para as empresas do pós-venda automóvel, nomeadamente: oficinas, retalhistas e distribuidores de peças.  Para além das repercussões diretas imediatas, que já se notam, importa conhecer o contexto que iremos enfrentar depois de tudo voltar à normalidade “pré-vírus”.

A cadeia de fornecimento está, segundo a Roland Berger, muito mais exposta do lado OEM, uma vez que se tratam de estruturas altamente integradas e, por conseguinte, muito expostas a uma possível paragem de algum interveniente na cadeia. O mercado IAM, embora também sofra alguns destes problemas de fornecimento, uma vez ultrapassada a crise sanitária, atingirá mais facilmente a normalidade. Atualmente, apenas 20% dos automóveis têm cinco anos ou menos, e são estes veículos que ainda procuram os canais das marcas. É por isso que, embora também venha a ser um período complicado para o pós-venda IAM, o canal independente será o que vai sofrer menos e irá recuperar a normalidade antes.

Lei o artigo completo aqui

Notícias da mesma categoria

João Vieira

Do mesmo Autor: João Vieira

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com