Mercado europeu de usados em crescimento

09 - Mercado-europeu

O mercado europeu de automóveis usados cresce em 10,3% no último mês de Agosto. O mercado do Reino Unido foi o único a abrandar em 3,3%. Será expectável uma maior aceleração dos preços em Setembro, à medida que o aumento das restrições dos stocks se confronta com uma forte procura, já sinalizado anteriormente pelo aumento dos preços grossistas e elevadas taxas de conversão.

O mercado europeu de automóveis usados cresceu 10,3% em Agosto, embora mais lento que Julho (12,5%) e Junho (13,5%). Apenas o mercado do Reino Unido contraiu (3,3%) e todos os outros mercados apresentaram sinais de crescimento, ainda que residual em alguns deles. Os preços continuam a ser fortes e a aumentar na maioria dos mercados, o que, combinado com os relatos de preços grossistas fortes e elevadas taxas de conversão, reafirmam igualmente que a procura global supera a oferta. “A desaceleração da taxa de crescimento parece ser essencialmente impulsionada pelo lado da oferta uma vez que assistimos a uma redução contínua dos stocks dos retalhistas na maioria dos mercados”, sublinha o Director Global do INDICATA, Andy Shields.

Embora os volumes subam ano após ano, a sazonalidade de Agosto (férias) expressa que os volumes de vendas deste mês estão mais equilibrados com a oferta em alguns países e estamos mesmo a assistir a um crescimento dos stocks em França, na Alemanha e no Reino Unido.

“Os preços continuam a ser fortes e a aumentar na maioria dos mercados, o que, combinado com os relatos de preços grossistas fortes e elevadas taxas de conversão, reafirmam igualmente que a procura global supera a oferta”, acrescenta.

O Reino Unido aparece mais em risco deste ponto de inflexão, com uma redução dos volumes ano após ano e o aumento dos níveis de stock. “No entanto, nesta fase, os preços continuam a ser muito firmes, pelo que não há sinais definitivos de que o mercado tenha agora virado”, termina dizendo Andy Shields.

O mercado do Reino Unido foi o único a abrandar (menos 3,3%). É interessante notar que o Reino Unido esteve em declínio no mês passado (menos 1,8%). Outros países que mostraram um crescimento limitado foram a Suécia, a Áustria, a França e os Países Baixos.

A questão fundamental é saber se estes movimentos limitados e o abrandamento da taxa de crescimento global estão relacionados com a procura ou com a oferta.

Olhando para a variação dos níveis de stock desde Junho (na altura em que maioria dos países saiu do bloqueio) podemos ver que o stock continua a ser muito apertado, particularmente na Suécia, Alemanha e Polónia e Portugal.

Dito isto, apesar de ainda fortemente limitada pelos stocks, houve um crescimento de 8,3% nos volumes de vendas ano após ano na Polónia.

A Suécia também é claramente contida em volume, evidenciado por grandes reduções de stocks associadas (como se pode ver mais tarde no relatório) à continuação de um forte crescimento dos preços.

Para os Países Baixos, Reino Unido e França, as alterações dos stocks desde Junho estão num nível semelhante ao resto do mercado, sugerindo que outros fatores possam estar a actuar.

Assim, se olharmos para as alterações do stock durante o mês de Agosto, vemos um quadro diferente.

O Reino Unido, outrora um dos mercados mais constrangidos pelo confinamento, assistiu a um aumento das existências, à medida que as taxas de venda sazonais abrandaram, e a infraestrutura de fornecimento de veículos usados finalmente chegou ao mercado. Do mesmo modo, verificou-se um aumento do stock disponível na Alemanha, França e Turquia.

Embora o abrandamento dos stocks na Alemanha tenha permitido uma aceleração da taxa de crescimento para 14,1% (de 6,4% em Julho), as preocupações com o aumento dos níveis de infeção mantiveram França sob pressão. No entanto, a Áustria viu o stock contrair 5% em Agosto, limitando o crescimento para 1,1%.

A tendência geral para a transição para automóveis mais amigos do ambiente manteve-se, embora a diferença entre os volumes de Gasolina vs Diesel tenha diminuído (com o crescimento da Gasolina a abrandar de 14,6% em Julho para 10,4% em Agosto).

Portugal – Procura forte, constrangimentos de stock
Tal como a Polónia, Portugal tornou-se um mercado altamente constrangido no que aos stocks diz respeito, com níveis globais a descerem 20% desde Junho e, de facto, baixando 11% só em Agosto. No entanto, isto não parou o mercado. A actividade online por parte dos retalhistas portugueses continua a apresentar crescimento de vendas em Agosto, desta vez 39% em termos homólogos, mas com a expectativa que os volumes abrandem durante Setembro, à medida que os stocks reduzem.

Pode ver o 8º relatório do Observatório INDICATA aqui

Notícias da mesma categoria

João Vieira

Do mesmo Autor: João Vieira

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com