MF Pinto reestrutura Instalações de Sintra

MF Pinto reestrutura Instalações de Sintra

A MF Pinto acaba de alargar as suas instalações. Atualmente a empresa conta com cerca de 2.000 m² para escritórios, área técnica e armazém. Esta atualização permite à empresa aumentar o volume dos stocks

Numa altura em que se tornou, mais do que nunca, necessário a afirmação e a persistência no negócio do aftermarket, a MF Pinto dá o passo que lhe faltava. Desde 2010 sediados na zona Industrial da Abrunheira, aproveitaram a pandemia para aumentar os 900 m² que possuíam para 2000 m². Medidas à parte, estas remodeladas instalações permitiram à empresa de Sintra, não só aumentar a capacidade de stock, como também dar melhores condições de trabalho aos seus 30 colaboradores.

O Jornal das Oficinas está sempre em cima do acontecimento e claro, fomos até à MF Pinto, a distribuidora ‘expert’ de Sistemas de injeção Diesel e Turbocompressores, conhecer os cantos à casa.  Estivemos à conversa com o diretor geral da empresa, Jorge Costa Pinto que nos explicou o que mudou “A nossa capacidade de stock já estava bastante limitada e agora aumentou significativamente. Desde 2017 que começámos a notar algumas dificuldades, foi uma oportunidade que surgiu agora e não quisemos deixar de a agarrar. Não foi preciso arranjar outro espaço geográfico e conseguimos duplicar o que nós tínhamos. Passámos a ter uma capacidade de stock muito maior e também conseguimos dar aos nossos colaboradores melhores condições de trabalho”.

Nova área técnica é uma mais valia
A nova área técnica da empresa está destinada ao armazém e aos colaboradores que efetuam a gestão de produto. Jorge explica “A nova área está integrada com a antiga, é um prolongamento. Atualmente melhorou em grande escala o nosso serviço de pós-venda, contempla as garantias, que para nós é sempre um grande problema. Permitiu-nos aumentar a nossa gama de turbos e dar uma resposta muito mais rápida aos nossos clientes”.

Apesar destas mudanças, se há coisa que não muda na MF Pinto são as formações técnicas aos Turbocompressores. “Atualmente estamos a ser muito procurados por empresários que querem entrar na área e ter conhecimento sobre a reparação de um turbo. Para além da formação técnica que prestamos, fornecemos as peças para a reparação e podemos também fornecer os equipamentos. No fundo, é um serviço global na área dos turbos”, revelou o diretor geral.

Após um grande investimento como o que fizeram, numa altura de pandemia, Jorge Costa explicou ao Jornal das Oficinas que o contexto do Covid-19 lhes trouxe alguma instabilidade inicialmente, mas que acabou por não se refletir na empresa “Abril e Maio foram meses de poucas vendas, como para todas as empresas deste ramo, no entanto, posso afirmar que vivemos esta fase relativamente tranquilos. Fizemos algumas alterações na empresa, enviamos alguns funcionários para teletrabalho, posicionamos as instalações de modo a que cumprissem os requisitos, mas de resto não sentimos o que muitas empresas sentiram”, o diretor geral da MF Pinto fez ainda questão de acrescentar “Esta pandemia é uma oportunidade para o aftermarket. Quero com isto dizer que os automobilistas vão guardar os carros, não os vão trocar tão rapidamente, vão fazer mais quilómetros, logo vão precisar de mais peças. Vejo com otimismo o resto do ano, não há nenhuma razão que me leve a ser pessimista. Atualmente a MF Pinto está dentro do mesmo número de vendas face ao ano de 2019”, afirmou.

Leia o artigo completo aqui

Notícias da mesma categoria

João Vieira

Do mesmo Autor: João Vieira

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com