“O efeito Covid está a ser um catalisador da consolidação do mercado ibérico”, Manuel Vicente, Rodapeças

03 - Manuel-Vicente-Rodapecas

Manuel Vicente, gerente da Rodapeças, considera que a recuperação do mercado vai demorar mais do que tinha previsto, em virtude deste novo confinamento, mas acredita na resiliência deste mercado.

Para este responsável “O Covid-19 veio mostrar que aquilo que muitas vezes damos como garantido, assim não o é. Necessitámos de nos adaptar às novas circunstâncias num curtíssimo espaço de tempo e em vários ciclos ao longo deste último ano. Só o conseguimos graças a uma fantástica equipa que sem constrangimentos, sempre mostrou estar à altura do momento. Estamos a dar um foco na transformação digital da empresa, como nunca o tínhamos feito até agora, melhorando as nossas plataformas digitais de comunicação e relacionamento com os clientes e estamos a melhorar a organização e os processos internos.”

Para Manuel Vicente, a maior dificuldade que está a encontrar no desempenho da atividade é conseguir “Definir uma estratégia de curto e médio prazo que consiga ser vencedora num ambiente de total incerteza como aquele que estamos a viver, e, tudo indica continuaremos a viver durante mais este ano.”

Ao longo da sua história, a Rodapeças tem sempre compreendido as necessidades dos seus clientes. Assim, contínua a trabalhar com mais e melhores soluções e, acima de tudo, reconhecendo aqueles que também a reconhecem como seus parceiros de negócio.

“O digital está a crescer em todas as áreas de retalho e o nosso negócio não é exceção. Uma Loja Online é uma montra de venda sem fronteiras e assim sendo, o mercado potencial é enorme. As soluções digitais de sucesso são todas aquelas que tragam benefício ao utilizador. Pode ser benefício de tempo, financeiro ou comercial”, refere Manuel Vicente.

Devido a um aumento da oferta e diminuição da procura, que já estamos a assistir, este responsável acredita que “Venha a existir uma pressão nos preços relativamente a algumas famílias de produtos. De qualquer forma, os grandes distribuidores têm custos de distribuição elevados e grandes investimentos feitos, que não estão amortizados. Tal cenário poderá ajudar a moderar o ímpeto de algumas loucuras que aconteceram no passado.”

Relativamente à evolução do mercado da distribuição de peças, Manuel Vicente considera que o processo de aquisições, fusões e integrações já está a acontecer e o efeito Covid está a ser um catalisador da consolidação do mercado ibérico.  Em termos económicos, este responsável considera que 2021 será seguramente pior do que os anos anteriores e que os resultados vão depender muito do segundo semestre em termos pandémicos.

Notícias da mesma categoria

Redação JO

Do mesmo Autor: Redação JO

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com