A “nova normalidade” no trabalho, Antonieta Loureiro, Osram

04 - Antonieta_Loureiro_JO Ao estarmos a completar um ano de pandemia, parece-me interessante falar um pouco sobre esta “nova normalidade” que estamos a viver.

Que muita coisa vai mudar, já todos sabemos! Mas em concreto, como é que essa mudança vai afetar a nossa vida profissional?

Eu gostaria de aproveitar esta oportunidade para partilhar a minha opinião sobre a forma como teremos de encarar este “new work“ ou “nova normalidade no trabalho”.

Talvez começando pelo escritório, penso que nas funções onde for possível o trabalho através de casa, o modelo híbrido vai sair vencedor. Este oferece vantagens ao empregador, pois poderá reduzir a área de escritório disponível, e, por conseguinte, reduzir alguns custos fixos, como também oferece ao colaborador a vantagem de uma gestão diferente do seu tempo.

O equilíbrio entre a vida profissional e a vida privada tem que ser promovido e valorizado pela empresa e tem que ser vivido e desenvolvido por cada colaborador

Importante é, que é responsabilidade do empregador garantir que estes colaboradores em modelo híbrido tenham as melhores condições possíveis de trabalho quando estão em outro local de trabalho que não o escritório. E aqui não me refiro somente a algumas alterações na legislação que poderão existir, como por exemplo, de obrigação do empregador a comparticipar algumas despesas como água, luz, etc., mas é crucial, e a meu ver mais importante, que o empregador garanta que o seu colaborador tenha bem claro algumas regras muito importantes para manter a saúde e a produtividade em teletrabalho. Para que tal aconteça a informação, a formação e a monitorização são fundamentais.

Também para os colaboradores que não vão ser afetados por este modelo híbrido há que auxiliá-los na transição para esta nova realidade e dedicar-lhes também uma especial atenção e acompanhamento.

Inevitavelmente com as empresas a trabalharem desta forma a digitalização é imperativa. E aqui os desafios serão ainda maiores para os gestores das empresas. Como lidar com colaboradores em situação híbrida e em situação presencial? Como atingir a Missão e a Visão da empresa com esta nova realidade?

Pegando na máxima verdadeira de que as pessoas fazem as empresas e não o contrário, agora será a altura certa para pensar em informação e formação sobre temas como a adaptação à mudança, a digitalização, a comunicação positiva, entre outros, dependendo, claro, das necessidades de cada empresa.

Por fim, mas igualmente importante gostaria também de abordar aqui o equilíbrio entre a vida profissional e a vida privada. Este equilíbrio tem que ser promovido e valorizado pela empresa e tem que ser vivido e desenvolvido por cada colaborador. Desta forma estaremos, por exemplo, a construir uma empresa com colaboradores prontos para um ambiente de trabalho dinâmico e flexível, onde o fator comum é o cumprimento das metas a que a empresa se propõe. Esta situação de equilíbrio será obviamente benéfica também para a sociedade e para a comunidade onde as pessoas e as empresas se incluem.

O futuro será diferente e trará muitas e novas oportunidades para todos. Mas teremos todos, e cada um em particular, que contribuir com um espírito recetivo e aberto para que essa mudança ocorra e que traga “LUZ” para todos!