SERNAUTO preocupada com a indústria automóvel

06 - SERNAUTO-preocupada

A Associação Espanhola de Fornecedores Automotivos (SERNAUTO) quer alertar sobre dois problemas importantes que estão a afetar muito a indústria automóvel: a escassez de alguns produtos-chave para a fabricação de componentes e sistemas de veículos e o aumento substancial do preço das matérias-primas

A escassez de certos componentes é um problema real e sério que está a afetar toda a cadeia de valor do setor. Entre janeiro e o final de maio, deixaram de se produzir em  Espanha 231.679 veículos por falta de chips, com o consequente impacto no cancelamento do fornecimento do resto dos componentes desses veículos. Esta situação pode ser prolongada até o início de 2022.

A este problema, soma-se o aumento do preço de uma grande quantidade de matéria-prima, como metais ferrosos e não ferrosos, materiais poliméricos, produtos químicos, entre outros. No caso do aço, o preço multiplicou vezes cinco em 2021. O alto preço do petróleo também aumentou o custo de todos os materiais plásticos, bem como custos de energia e logística. Os fretes marítimos multiplicaram de valor, e às vezes são leiloados, devido à falta de contentores.

O aumento da procura por matéria-prima tem ocorrido por diversos motivos, fundamentalmente: de um lado, a recuperação gradual dos mercados após a atividade motivada pelo COVID-19; e uma tendência maior por parte das empresas: excesso de estoque industrial, para evitar a falta de estoque e para poder atender adequadamente os clientes, evitando penalidades.

Vale destacar também a queda da capacidade instalada de aço na Europa, para 35% nos últimos dois anos, em 2019 devido a um mercado fraco e em 2020 devido à pandemia. Esta queda do Capacidade europeia, aliada a menor percentual das exportações chinesas, traz dificuldades para empresas siderúrgicas e centros de serviços para atender e satisfazer a procura.

Também há escassez de sucata devido à queda da atividade industrial durante a pandemia e a redução do sucateamento de veículos devido à diminuição de registos.

Nas palavras do Diretor-Geral da SERNAUTO, José Portilla: “Em plena recuperação da pandemia, a indústria fornecedora automóvel espanhola agora enfrenta a crise derivada da falta de matéria-prima e da elevação dos custos, que atrapalha o caminho/recuperação que estava a começar. É uma questão que nos preocupa como associação e vamos monitorar permanentemente esse problema”, concluiu.