Dar Voz ao Aftermarket: Adaptação das Oficinas ao Mundo virtual

07 - 01_Podcast

Tal como já vai sendo habitual, desde o início do ano o Jornal das Oficinas tem vindo a “Dar Voz ao Aftermarket” através do seu Podcast semanal e agora aqui em formato impresso, com uma rubrica mensal sobre cada tema debatido

Vale a pena realçar, que a escolha dos temas para cada um dos Podcast é feita meticulosamente mensalmente e adaptada ao mercado do aftermarket. Assim, o tema do mês de maio, não poderia ser mais atual. Falamos sobre a “Adaptação das Oficinas ao Mundo Virtual” e fizemos questão de convidar os melhores especialistas da Digitalização Oficinal. Como tal, estivemos à conversa com Pedro Barros, Diretor da Tips4y, Fernando Amaral, CEO da Alidata, Hélder Pinto, Consultor de Marketing Digital, e por fim, Tiago Rocha, Gerente da TiagoRochauto.

Porquê o tema da “Adaptação das Oficinas ao Mundo Virtual”? Pois bem, através do Jornal das Oficinas e das nossas plataformas digitais, temos vindo a insistir na necessidade da transformação digital dos negócios de reparação de veículos como o melhor caminho para desenvolver as oficinas para o futuro, sendo algo totalmente necessário num setor como o automóvel, no qual os avanços tecnológicos são contínuos. Mas afinal é hoje necessário ser uma empresa digitalizada para sobreviver no mercado? “Hoje em dia, a digitalização deixou de ser um custo para passar a ser um investimento, é necessário as empresas analisarem o seu negócio em primeiro mão, definirem prioridades e objetivos, planear e então depois iniciarem o processo de digitalização.

Uma empresa que não tenha esta componente digital tem tendência a ser desvalorizada no mercado e mais tarde ou mais cedo, vai cair”, explicou Fernando Amaral da Alidata. Já Pedro Barros, da Tips4y chega mesmo a afirmar “a forma habitual de se fazer negócios, está morta. Todos os dias o desenvolvimento exponencial das novas tecnologias está a mudar e as oficinas fazem parte de uma cadeia de valor e devem garantir a mobilidade dos seus clientes tornando o inconveniente, em conveniente. Como? Adaptando a transformação digital, mas atenção que isto é muito mais do que digitalizar, é mudar a forma como pensamos no negócio hoje, é transformar a experiência do cliente ligando­‑me a ele e ao veículo, antecipar a necessidade de imobilização do mesmo, agendar a manutenção no conforto do sofá e permitir ao cliente acompanhar a reparação do automóvel, ou seja, é criar rapidez”, referiu.

No entanto, tal como explica Hélder Pinto, Consultor de Marketing Digital, em comparação com há uns anos “As oficinas estão bastante mais digitalizadas do que estavam, mas ainda não é algo expressivo, ou seja, ainda não se assiste a uma penetração muito grande do Marketing Digital das Oficinas”. Questionado pelo Jornal das Oficinas sobre como podem as oficinas ganhar notoriedade com a digitalização, o mesmo explicou “Para uma oficina ganhar notoriedade tem que ir trabalhando nisso ao longo do tempo, não é one time shot, ou seja, não podemos investir hoje na notoriedade, depois parar e daqui a um ano ou dois, regressar. Não. Tem que ser feito de forma consistente. Só conseguimos começar a ter a noção do impacto da marca quando muitas vezes alguém chega à oficina e identifica algo que viu nas redes sociais daquela marca”, afirmou Hélder Pinto.

Tiago Rocha, Gerente da TiagoRochauto é um exemplo de uma oficina digitalizada. Iniciou­‑se no Youtube há seis anos e desde aí nunca mais parou, hoje, conta com cerca de 40.000 seguidores. “O nosso intuito não é sermos uma ‘oficina digitalizada’ só porque contamos com todas as redes sociais. Também não queremos apenas publicar vídeos sobre temas aleatórios, nós queremos que os vídeos que publicamos sejam uma montra do nosso trabalho. Por este motivo, publicamos vídeos de reparações reais do nosso dia a dia, fornecemos dicas aos nossos clientes, do porquê que aquela peça se danificou, porquê que aquele cliente vai pagar tanto por aquela reparação, etc. Este é o nosso principal conceito, a nossa principal ideia, queremos mostrar o dia a dia da nossa oficina e desmistificar a ideia que as pessoas têm das oficinas automóvel”, concluiu Tiago Rocha.

Com uma duração de cerca de dez minutos, os Podcasts JO relatam, na primeira pessoa, as opiniões de personalidades do setor sobre temas atuais do aftermarket.

Para saber mais sobre este tema e ouvir na integra a conversa com os nossos entrevistados, aceda à secção de Podcasts no site do Jornal das Oficinas e esteja sempre atualizado!